Close
Metadata

%0 Conference Proceedings
%4 sid.inpe.br/mtc-m21c/2018/08.10.13.25
%2 sid.inpe.br/mtc-m21c/2018/08.10.13.25.01
%T Roteirização dos veículos de coleta de resíduos sólidos urbanos utilizando SIG
%D 2018
%A Morais, Laryssa Alvarenga de,
%A Ometto, Jean Pierre Henry Balbaud,
%A Nascimento, Victor Fernandez,
%@affiliation Universidade Estadual Paulista (UNESP)
%@affiliation Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%@affiliation Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%@electronicmailaddress laryssamorais14@gmail.com
%@electronicmailaddress jean.ometto@inpe.br
%@electronicmailaddress victor.nascimento@inpe.br
%B Seminário de Iniciação Científica e Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (SICINPE)
%C São José dos Campos, SP
%8 30-31 jul.
%X Este projeto, iniciado em agosto de 2017, tem como objetivo estimar as distâncias percorridas pelos veículos de coleta de RSU, os gastos inerentes a está locomoção e a quantidade de gás de efeito estufa, especificamente, CO2 emitida. A área de estudo desta pesquisa são os 645 municípios que compõem o Estado de São Paulo, e os dados em análise fazem referência aos anos de 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016. O projeto de Iniciação Cientifica, iniciado em 2016, que deu continuidade a este tratou de analisar os dados de 2011. Inicialmente, foi realizado o levantamento dos dados presentes no Inventário Estadual de Resíduos Sólidos Urbanos (IERSU), dos anos em estudo, divulgados pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB). As informações extraídas deste instrumento sobre a quantidade de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) gerada por cada município, e as condições básicas dos aterros sanitários presentes no Estado, serviram para embasar e dar continuidade aos próximos passos do atual trabalho. Fazendo uso da plataforma ArcGis 10.5, criou-se os pontos georreferenciados, em formato shapefile, dos aterros e centros urbanos dos municípios paulistas, a partir disso, foi possível elaborar as rotas. Para fins de comparação das distâncias percorridas, dois tipos de rotas foram criadas as lineares e as por vias de transporte. Com base na geração de RSU de cada município e na capacidade do peso de carga do veículo de transporte foi possível calcular o número de viagens realizadas por tais veículos. Por intermédio destes resultados pudemos elaborar produtos cartográficos temáticos e tabelas. Apenas no ano de 2016 a somatória das distâncias percorridas pelos veículos de coleta foi superior a 90 milhões de quilômetros, tal valor leva em consideração o percurso de ida e volta por estradas, multiplicado pelo número de viagens necessário para que todo o resíduo gerado nos municípios fossem dispostos nos aterros. Esta alta distâncias percorrias pelos caminhões de coleta de RSU demonstram uma gestão não tão eficiente dos RSU no Brasil, principalmente ao que se refere a logística destes. Para dar continuidade a este projeto estão programadas para as seguintes atividades: continuar a roteirização dos veículos de coleta de RSU para os anos que ainda não foram concluídas; calcular a estimativa dos gastos e emissões de CO2. Escolher um município paulista e otimizar a rota dos veículos de coleta dentro do perímetro urbano.
%@language pt
%3 Morais_roteirizacao.pdf
%) sid.inpe.br/mtc-m21c/2018/08.10.10.44.41
%O Bolsa PIBIC/INPE/CNPq


Close