Close
Metadata

@Article{SantosOliSilBarAlm:2018:DeTÚDu,
               author = "Santos, Gedinara Paiva dos and Oliveira, Leidiane Le{\~a}o and 
                         Silva, Joseandra Aparecida Campos da and Barreto, Naurinete de 
                         Jesus da Costa and Almeida, Rodolfo Maduro",
          affiliation = "{Universidade Federal do Oeste do Par{\'a} (UFOPA)} and 
                         {Universidade Federal do Oeste do Par{\'a} (UFOPA)} and 
                         {Universidade Federal do Oeste do Par{\'a} (UFOPA)} and 
                         {Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)} and 
                         {Universidade Federal do Oeste do Par{\'a} (UFOPA)}",
                title = "Desconforto t{\'e}rmico durante a esta{\c{c}}{\~a}o seca em uma 
                         cidade de clima tropical chuvoso na Amaz{\^o}nia",
              journal = "Revista Ibero-Americana de Ci{\^e}ncia Ambientais",
                 year = "2018",
               volume = "9",
               number = "6",
                 note = "{Edi{\c{c}}{\~a}o especial do Congresso de Gest{\~a}o Ambiental 
                         do Baixo Amazonas (CONGABA0}",
             abstract = "A avalia{\c{c}}{\~a}o da sensa{\c{c}}{\~a}o t{\'e}rmica em 
                         Santar{\'e}m {\'e} importante devido {\`a} recente 
                         expans{\~a}o f{\'{\i}}sica e populacional da cidade. 
                         Santar{\'e}m {\'e} a terceira maior cidade do Par{\'a}, tanto 
                         em tamanho e como em popula{\c{c}}{\~a}o. O clima Equatorial, 
                         caracterizado com temperatura do ar e umidade relativa do ar 
                         elevadas ao longo do ano, associado a varia{\c{c}}{\~o}es 
                         diurnas de temperatura, mesmo que pequenas podem representar 
                         altera{\c{c}}{\~o}es importantes no conforto/desconforto 
                         t{\'e}rmico do ambiente urbano. Neste sentido o conforto 
                         t{\'e}rmico hor{\'a}rio foi testado por meio de quatro modelos 
                         capazes de retorna a resposta t{\'e}rmica local, focados neste 
                         estudo na esta{\c{c}}{\~a}o seca de 2016 (julho a novembro), 
                         utilizando dados da esta{\c{c}}{\~a}o meteorol{\'o}gica 
                         autom{\'a}tica de superf{\'{\i}}cie de Santar{\'e}m. Entre os 
                         resultados encontrados podemos destacar que no intervalo de 11 
                         {\`a}s 18 h, em ambiente aberto, a sensa{\c{c}}{\~a}o 
                         t{\'e}rmica varia de desconfort{\'a}vel a extremante 
                         desconfort{\'a}vel. Entre 14 e 17 h os {\'{\i}}ndices apontam 
                         sensa{\c{c}}{\~a}o muito quente com falha na 
                         termo-regula{\c{c}}{\~a}o do corpo e cautela extrema, estas 
                         sensa{\c{c}}{\~o}es t{\'e}rmicas est{\~a}o associadas aos 
                         valores m{\'a}ximos de temperatura ar em torno de 31░C e umidade 
                         relativa inferior a 60%. A compreens{\~a}o acerca da 
                         sensa{\c{c}}{\~a}o t{\'e}rmica atual em Santar{\'e}m e dos 
                         hor{\'a}rios mais cr{\'{\i}}ticos, servem como subsidio para 
                         medidas de preven{\c{c}}{\~a}o a exposi{\c{c}}{\~a}o a 
                         ambientes abertos, al{\'e}m de possibilidade de emiss{\~a}o de 
                         alertas a sociedade e poder p{\'u}blico.",
                 issn = "2179-6858",
             language = "pt",
           targetfile = "santoss_desconforto.pdf",
        urlaccessdate = "2020, Oct. 21"
}


Close