Close
Metadata

%0 Report
%4 sid.inpe.br/mtc-m21c/2019/09.16.12.33
%2 sid.inpe.br/mtc-m21c/2019/09.16.12.33.15
%T Classificação sinótica de espisódios de Zonas de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) associados com a ocorrência de chuva extrema no Estado de Minas Gerais
%D 2019
%9 RPQ
%P 16
%A Silva, Paola do Nascimento,
%A Escobar, Gustavo Carlos Juan,
%@affiliation Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI)
%@affiliation Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%@electronicmailaddress paoola.silva@hotmail.com
%@electronicmailaddress gustavo.escobar@inpe.br
%I Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
%C São José dos Campos
%K Chuva extrema, Belo Horizonte (MG), ZCAS.
%X O estado de Minas Gerais sofre influência de fenômenos meteorológicos de latitudes médias e tropicais, devido a sua localização, ocasionando assim duas estações bem definidas, sendo elas uma seca e outra chuvosa. O verão no estado é marcado por registros de ocorrência de chuvas extremas, e há diversos sistemas meteorológicos que atuam na região Sudeste do país. Se estes sistemas persistirem por mais de três dias, pode-se classificar como episódios de Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS). A ZCAS é caracterizada por uma persistente banda de nebulosidade orientada no sentido noroeste-sudeste, que se estende desde a Amazônia até o Oceano Atlântico e que atua entre os meses de outubro e abril, provocando altos índices pluviométricos nas regiões afetadas. Deste modo, o objetivo deste trabalho é estudar o comportamento da circulação atmosférica associada a eventos de ZCAS. Foram encontrados 15 casos de chuva extrema na mesorregião Metropolitana de Belo Horizonte, onde o limiar foi de 55 mm por dia. Através destes casos foram feitos compostos e anomalias para identificar as características sinóticas dos campos atmosféricos na região de atuação da ZCAS. As principais características encontradas foram: - convergência que se estende desde o Amazonas até o oceano Atlântico em baixos níveis; - valores mais altos de umidade específica em baixos níveis relacionada a posição da ZCAS; - divergência em altos níveis, indicando convergência em baixos níveis; - ômega negativo em médios níveis, indicando movimento ascendente; - cavado no Sudeste, crista no oceano Atlântico e cavado no Nordeste em altos níveis; - Alta da Bolívia bem configurada; - sistema de baixa pressão atmosférica próxima do Sudeste; - frente estacionária no Sudeste ou próximo; - ASAS e ASPS bem configuradas; - cavado invertido no oceano Atlântico, próxima do sul do RJ. Estes resultados obtidos poderão auxiliar às práticas de previsão do tempo.
%@language pt
%3 PAOLA SILVA.pdf
%O Bolsa PIBIC/INPE/CNPq


Close