Close
Metadata

%0 Report
%4 sid.inpe.br/mtc-m21c/2020/06.30.19.55
%2 sid.inpe.br/mtc-m21c/2020/06.30.19.55.22
%A Luz, Ligia Ferreira Granja da,
%A Kampel, Milton,
%A Noemberg, Maurício,
%@affiliation Universidade Federal do Paraná (UFPR)
%@affiliation Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%@electronicmailaddress ligialuz@ufpr.br
%@electronicmailaddress milton.kampel@inpe.br
%T Sensoriamento remoto hiperespectral da qualidade da água da baía de Paranaguá, Paraná, Brasil
%D 2016
%I Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
%C São José dos Campos
%K sensoriamento remoto, qualidade da água, Baía de Paranaguá.
%X Os constituintes bio-ópticos dos oceanos são indicadores de propriedades biogeoquímicas e sua compreensão nos permite o monitoramento através de sensores de cor da água, terrestres e espaciais. As águas de regiões costeiras são mais complexas que de regiões oceânicas, pois variam em função de diversos componentes opticamente ativos (COAs), como a matéria orgânica dissolvida colorida (CDOM), os detritos e o fitoplâncton, além de possuírem características únicas e variáveis no espaço e no tempo. Nas regiões costeiras diversas atividades econômicas coexistem com uma área de grande biodiversidade, como acontece no Complexo Estuarino de Paranaguá (CEP). Estudar e monitorar os impactos antrópicos nessa região é de fundamental interesse, tanto econômico como ecológico. Para entender como esses constituintes atuam e assim poder monitorar de forma mais eficaz a região, testamos nesse estudo o ajuste regional de algoritmos globais de cor do oceano. Para isso realizamos campanhas de coletas de dados In Situ concomitantemente com a passagem do sensor VIIRS. Em cada estação amostral foram adquiridos perfis de temperatura, salinidade, turbidez e clorofilaa. Amostras de água foram coletadas para determinação de material particulado em suspensão (MPS), coeficiente de absorção do CDOM e coeficiente de absorção da clorofila pelo método de espectrometria de massa em HPLC. Dados radiométricos acima-da-água foram coletados com FieldSpec. A correlação entre MPS e salinidade foi significativa com r2 de 0.88. Os pontos com as maiores concentrações de clorofila foram os mais internos, nos quais encontramos também as maiores concentrações de fitoplâncton, com aproximadamente 68 células/ml. Nos pontos mais externos, na desembocadura sul da baia de Paranaguá, esse valor caiu para 11 células/ml. O coeficiente de radiância da água apresentou uma correlação significativa com o índice de turbidez, com um r2 de 0.94. Esses resultados nos permitiram entender melhor a dinâmica espacial e temporal dos parâmetros ópticos da baía de Paranaguá, dando subsídio para novos estudos.
%P 23
%O Bolsa PIBIC/INPE/CNPq
%@language pt
%9 RPQ
%3 Luz_sensoriamento.pdf


Close