Fechar
Metadados

@InProceedings{OliveiraAdam:2016:DiUsOc,
               author = "Oliveira, Afonso Henrique Moraes and Adami, Marcos",
          affiliation = "{} and {Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)}",
                title = "Din{\^a}mica do uso e ocupa{\c{c}}{\~a}o da terra das 
                         {\'a}reas desflorestadas no estado do Par{\'a}",
                 year = "2016",
         organization = "Semin{\'a}rio de Inicia{\c{c}}{\~a}o Cient{\'{\i}}fica e 
                         Inicia{\c{c}}{\~a}o em Desenvolvimento Tecnol{\'o}gico e 
                         Inova{\c{c}}{\~a}o (SICINPE)",
                 note = "{Bolsa PIBIC/INPE/CNPq}",
             abstract = "O Estado do Par{\'a} foi o estado que mais desflorestou no ano de 
                         2013 segundo os resultados do Projeto PRODES. Com a 
                         cria{\c{c}}{\~a}o do projeto TerraClass, foi poss{\'{\i}}vel 
                         qualificar o desmatamento mapeado pelo PRODES e fornecer dados 
                         sobre a cobertura da terra em toda a Amaz{\^o}nia Legal 
                         Brasileira. Nas {\'u}ltimas duas d{\'e}cadas a {\'a}rea de 
                         endemismo Tapaj{\'o}s sofreu uma redu{\c{c}}{\~a}o de mais de 
                         20% nas {\'a}reas florestadas. Nesse sentido, entender como se 
                         desenvolveu esse processo; quais os usos que ocuparam as 
                         {\'a}reas de floresta; quais foram {\`a}s transi{\c{c}}{\~o}es 
                         mais significativas s{\~a}o importantes para contribuir com o 
                         desenvolvimento de pol{\'{\i}}ticas de gest{\~a}o 
                         sustent{\'a}veis dos ecossistemas na Floresta Amaz{\^o}nica. 
                         Desta forma, o presente trabalho tem por objetivo geral analisar a 
                         din{\^a}mica de mudan{\c{c}}a de uso da terra na {\'a}rea de 
                         endemismo Tapaj{\'o}s utilizando os dados TerraClass e se 
                         baseando na matriz de transi{\c{c}}{\~a}o para os anos de 2004 a 
                         2012. O objetivo secund{\'a}rio {\'e} analisar o processo de 
                         transi{\c{c}}{\~a}o entre as classes, indicar as mais 
                         vulner{\'a}veis a mudan{\c{c}}as e perman{\^e}ncia. Tais 
                         mudan{\c{c}}as s{\~a}o mensuradas de forma quantitativa, 
                         verificando o ganho, a perda, realoca{\c{c}}{\~a}o ou a 
                         perman{\^e}ncia da classe correspondente a um determinado uso. As 
                         perdas referem-se {\`a} diminui{\c{c}}{\~a}o da {\'a}rea de 
                         determinada classe existente em um primeiro per{\'{\i}}odo (ano 
                         t), que cede espa{\c{c}}o a outra classe em um per{\'{\i}}odo 
                         posterior (ano t+). De maneira contr{\'a}ria, processos de 
                         ganhos, representam um aumento da {\'a}rea de determinada classe, 
                         em detrimento de outra classe. A perman{\^e}ncia, expressa a 
                         propor{\c{c}}{\~a}o da classe que n{\~a}o sofreu qualquer tipo 
                         de transi{\c{c}}{\~a}o. Nesta {\'a}rea de estudo, a floresta 
                         teve a sua {\'a}rea reduzida em 3,54% durante o per{\'{\i}}odo 
                         de 2004 a 2012, tornando-a mais suscept{\'{\i}}vel a perdas de 
                         integridade. A pastagem foi a classe que mais recebeu {\'a}rea 
                         oriunda da floresta, 1,63%. A centro de endemismo abriga 16,75% 
                         das {\'a}reas pastoris do Bioma Amaz{\^o}nia, a pastagem ganhou 
                         cerca de 10.709 km de {\'a}reas de floresta, a classe o obteve 
                         um valor absoluto de mudan{\c{c}}a de 6,02%, em outras palavras, 
                         foi a classe de maior din{\^a}mica de ganhos e perdas, o que 
                         evidencia uma classe fr{\'a}gil e suscept{\'{\i}}vel a 
                         transi{\c{c}}{\~o}es e mudan{\c{c}}as de uso. A 
                         Vegeta{\c{c}}{\~a}o Secund{\'a}ria passou de 9,32% para 19,87%, 
                         que em sua grande parte foram provenientes de pastagens. Os 
                         valores de persist{\^e}ncia apresentaram-se bastantes elevados, 
                         1,97%, isso pode ser resultado da preserva{\c{c}}{\~a}o de 
                         {\'a}reas e sua posterior regenera{\c{c}}{\~a}o natural. A 
                         classe de agricultura foi a que apresentou o maior ganho, 1,74%, e 
                         os menores valores de realoca{\c{c}}{\~a}o, 0,12%, o que torna a 
                         classe a de maior integridade e potencial de expans{\~a}o para 
                         novas {\'a}reas. Sua elevada raz{\~a}o ganho/persist{\^e}ncia e 
                         valores de perdas nulos configuram a classe como altamente 
                         consolidada na regi{\~a}o.",
  conference-location = "S{\~a}o Jos{\'e} dos Campos, SP",
      conference-year = "25-26 jul.",
             language = "pt",
           targetfile = "Oliveira_dinamica.pdf",
        urlaccessdate = "29 nov. 2020"
}


Fechar