Fechar
Metadados

@InProceedings{RozanteRoza:2016:EsObCo,
               author = "Rozante, Vin{\'{\i}}cius and Rozante, Jos{\'e} Roberto",
          affiliation = "{Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)} and {Instituto 
                         Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)}",
                title = "Estudo observacional da concentra{\c{c}}{\~a}o de mon{\'o}xido 
                         de carbono para a regi{\~a}o metropolitada de s{\~a}o paulo e 
                         campinas",
                 year = "2016",
         organization = "Semin{\'a}rio de Inicia{\c{c}}{\~a}o Cient{\'{\i}}fica e 
                         Inicia{\c{c}}{\~a}o em Desenvolvimento Tecnol{\'o}gico e 
                         Inova{\c{c}}{\~a}o (SICINPE)",
                 note = "{Bolsa PIBIC/INPE/CNPq}",
             abstract = "Este trabalho aborda as varia{\c{c}}{\~o}es anuais, sazonais e 
                         di{\'a}rias da concentra{\c{c}}{\~a}o do mon{\'o}xido de 
                         carbono (CO) para a Regi{\~a}o Metropolitana de S{\~a}o Paulo 
                         (RMSP) e Campinas. Foram selecionadas tr{\^e}s 
                         esta{\c{c}}{\~o}es coletoras de CO posicionadas em regi{\~o}es 
                         com intenso tr{\'a}fego de ve{\'{\i}}culos (Osasco, Congonhas e 
                         Campinas), e uma localizada dentro de um parque estadual (Parque 
                         do Ibirapuera). Os resultados foram obtidos a partir de um 
                         conjunto de dados de 16 anos fornecidos pela Companhia Ambiental 
                         do Estado de S{\~a}o Paulo (CETESB), durante o per{\'{\i}}odo 
                         de 2000 a 2015. M{\'e}dias anuais, mensais e hor{\'a}rias foram 
                         calculadas a partir dos dados de concentra{\c{c}}{\~a}o de CO. A 
                         an{\'a}lise dos dados mostrou uma queda nos n{\'{\i}}veis de 
                         concentra{\c{c}}{\~a}o de CO ao longo dos anos para as quatro 
                         localidades estudadas. As redu{\c{c}}{\~o}es encontradas para 
                         Congonhas, Ibirapuera, Osasco e Campinas comparando o primeiro ano 
                         do estudo 2000 e o {\'u}ltimo 2015, foram de aproximadamente 
                         63.4%, 54.8%, 55.3%, 47.7% respectivamente. Essa queda {\'e} 
                         atribu{\'{\i}}da principalmente {\`a}s pol{\'{\i}}ticas de 
                         redu{\c{c}}{\~a}o na emiss{\~a}o de poluentes por 
                         ve{\'{\i}}culos, empregando novas tecnologias e energia 
                         renov{\'a}vel. Em termos mensais, os maiores valores de 
                         concentra{\c{c}}{\~a}o m{\'e}dia foram observados nos meses de 
                         junho/julho para Osasco (2.20 ppm), Congonhas (2.04 ppm), 
                         Ibirapuera (1.04 ppm) e Campinas (1.33 ppm). Verificou-se 
                         tamb{\'e}m um ciclo sazonal bem definido, sendo que os 
                         m{\'a}ximos valores de concentra{\c{c}}{\~o}es foram observados 
                         nos meses inverno, enquanto que os m{\'{\i}}nimos nos meses de 
                         ver{\~a}o. Esse comportamento sazonal {\'e} modulado basicamente 
                         por processos qu{\'{\i}}micos e condi{\c{c}}{\~o}es 
                         atmosf{\'e}ricas. A an{\'a}lise dos dados hor{\'a}rios indicou 
                         a presen{\c{c}}a de dois picos de m{\'a}xima 
                         concentra{\c{c}}{\~a}o de CO ao longo do dia, sendo que o 
                         primeiro ocorre no per{\'{\i}}odo da manh{\~a} e o segundo no 
                         inicio da noite. Os per{\'{\i}}odos de ocorr{\^e}ncia dos 
                         m{\'a}ximos coincidem com os hor{\'a}rios em que a maior 
                         quantidade da frota veicular est{\'a} circulando por estas 
                         cidades. Os maiores valores de concentra{\c{c}}{\~a}o, 
                         verificados nos meses de inverno, para Osasco ocorrem {\`a}s 8 e 
                         20 horas local (3.24 ppm), congonhas {\`a}s 19 horas (2.77 ppm), 
                         Ibirapuera {\`a}s 24 horas (1.47 ppm) e Campinas {\`a}s 20 horas 
                         (2.41 ppm). Durante os finais de semana, as primeiras quatro horas 
                         do dia, apresentam os valores mais elevados de 
                         concentra{\c{c}}{\~a}o de CO. Este comportamento est{\'a} 
                         associado {\`a}s emiss{\~o}es do per{\'{\i}}odo noturno dos 
                         dias anteriores (sexta e s{\'a}bado).",
  conference-location = "S{\~a}o Jos{\'e} dos Campos, SP",
      conference-year = "25-26 jul.",
             language = "pt",
           targetfile = "Rozante_estudo observacional.pdf",
        urlaccessdate = "24 nov. 2020"
}


Fechar