Fechar
Metadados

@Article{OliveiraSouBarSanAlm:2018:DiCoFe,
               author = "Oliveira, Leidiane Le{\~a}o de and Sousa, Clodoaldo and Barreto, 
                         Naurinete de Jesus da Costa and Santos, Gedinara Paiva dos and 
                         Almeida, Rodolfo Maduro",
          affiliation = "{Universidade Federal do Oeste do Par{\'a} (UFOPA)} and 
                         {Universidade Federal do Oeste do Par{\'a} (UFOPA)} and 
                         {Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)} and 
                         {Universidade Federal do Oeste do Par{\'a} (UFOPA)} and 
                         {Universidade Federal do Oeste do Par{\'a} (UFOPA)}",
                title = "Ilha de calor urbana: diagn{\'o}stico como ferramenta de 
                         gest{\~a}o ambiental urbana para a cidade de Santar{\'e}m - PA",
              journal = "Revista Ibero-Americana de Ci{\^e}ncia Ambientais",
                 year = "2018",
               volume = "9",
               number = "6",
                 note = "{Edi{\c{c}}{\~a}o especial do Congresso de Gest{\~a}o Ambiental 
                         do Baixo Amazonas (CONGABA0}",
             abstract = "Estudos sobre o clima urbano nem sempre est{\~a}o presentes nos 
                         instrumentos legais de planejamento, limitando-se muitas vezes 
                         {\`a} climatologia regional. {\'E} o caso do Plano Diretor e de 
                         arboriza{\c{c}}{\~a}o de Santar{\'e}m, que n{\~a}o leva em 
                         considera{\c{c}}{\~a}o dados meteorol{\'o}gicos. A 
                         hip{\'o}tese central deste trabalho {\'e} que, com a 
                         expans{\~a}o da malha urbana na regi{\~a}o 
                         Santar{\'e}m-Curu{\'a}-Una e Santar{\'e}m-Alter do Ch{\~a}o, o 
                         gradiente de temperatura entre a {\'a}rea urbanizada e seus 
                         entornos tende a aumentar provocando a 
                         forma{\c{c}}{\~a}o/intensifica{\c{c}}{\~a}o de Ilhas de Calor 
                         Urbana e impactos no conforto ambiental da popula{\c{c}}{\~a}o. 
                         O objetivo desta pesquisa foi o analisar as varia{\c{c}}{\~o}es 
                         microclim{\'a}ticas nas escalas espa{\c{c}}o-temporal e a 
                         identifica{\c{c}}{\~a}o de Ilhas de Calor Urbana ICU, usando 
                         dados de superf{\'{\i}}cie, em Santar{\'e}m-PA. Esta cidade 
                         {\'e} a terceira maior do estado, tanto em dimens{\~o}es 
                         territoriais como em popula{\c{c}}{\~a}o. A temperatura e a 
                         umidade do ar foram medidas ao longo de dois transectos, 
                         utilizando-se de termohigr{\^o}metro digital, totalizando 31 
                         pontos de coleta. As medi{\c{c}}{\~o}es foram efetuadas nos dias 
                         28 e 29 de janeiro de 2016, entre 09:00 h e 21:00 h. O estudo 
                         concluiu que Santar{\'e}m apresenta elevadas temperaturas ao 
                         longo do dia e diferen{\c{c}}as significativas de temperatura 
                         entre locais com diferentes concentra{\c{c}}{\~o}es de 
                         constru{\c{c}}{\~o}es e pavimenta{\c{c}}{\~a}o, ficando 
                         comprovada a forma{\c{c}}{\~a}o de Ilhas de Calor. Tamb{\'e}m 
                         podemos destacar que o padr{\~a}o de varia{\c{c}}{\~a}o 
                         espacial de temperatura do ar e de umidade relativa evidencia que 
                         a cidade de Santar{\'e}m j{\'a} configura varia{\c{c}}{\~a}o 
                         termo-higrom{\'e}trica de centros urbanos, mesmo tendo 
                         proximidade com rios, igarap{\'e}s e florestas. Na regi{\~a}o de 
                         Santar{\'e}m-Alter do Ch{\~a}o, a temperatura da {\'a}rea rural 
                         foi menor quando comparada {\`a} urbana, o que resulta em 
                         forma{\c{c}}{\~a}o de Ilha de Calor Urbana, com intensidade 
                         forte e muito forte em todos os hor{\'a}rios analisados. Isso 
                         implica em uma maior aten{\c{c}}{\~a}o de pol{\'{\i}}ticas 
                         p{\'u}blicas voltadas para esta {\'a}rea, visto que na Minuta do 
                         Projeto de Lei de Revis{\~a}o do Plano Diretor de Santar{\'e}m 
                         (2017) esta {\'a}rea {\'e} de expans{\~a}o urbana. Recomenda-se 
                         que sejam desenvolvidas pol{\'{\i}}ticas p{\'u}blicas de 
                         arboriza{\c{c}}{\~a}o e que as licen{\c{c}}as para novos 
                         loteamentos e ordenamentos insiram {\'a}reas verdes em seus 
                         projetos, assim como pol{\'{\i}}ticas voltadas {\`a} 
                         manuten{\c{c}}{\~a}o e {\`a} remedia{\c{c}}{\~a}o das 
                         {\'a}reas de prote{\c{c}}{\~a}o permanente ao longo dos 
                         igarap{\'e}s e dos lagos inseridos nesta {\'a}rea. H{\'a} 
                         grandes chances de que a intensidade da Ilha de Calor Urbana 
                         aumente e impacte negativamente o conforto ambiental da 
                         popula{\c{c}}{\~a}o.",
                 issn = "2179-6858",
             language = "pt",
           targetfile = "Oliveira_ilha.pdf",
        urlaccessdate = "21 out. 2020"
}


Fechar