Fechar
Metadados

@InProceedings{PintoMenDalBraEch:2018:DeEnDe,
               author = "Pinto, Ana Clara da Silva and Mendon{\c{c}}a, R. R. S. and Dal 
                         Lago, Alisson and Braga, Carlos Roberto and Echer, Ezequiel",
          affiliation = "{Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)} and 
                         {Laborat{\'o}rio Sino-Brasileiro para Clima Espacial 
                         (CBJLSW/NSSC/CAS)} and {Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais 
                         (INPE)} and {Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)} and 
                         {Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)}",
                title = "Depend{\^e}ncia com a energia de um decr{\'e}scimo de Forbush",
                 year = "2018",
         organization = "Simp{\'o}sio Brasileiro de Geof{\'{\i}}sica Espacial e 
                         Aeronomia, 7. (SBGEA)",
             abstract = "Decr{\'e}scimos de Forbush s{\~a}o diminui{\c{c}}{\~o}es na 
                         intensidade de raios c{\'o}smicos e {\'e} caracterizada por uma 
                         queda abrupta seguida por uma recupera{\c{c}}{\~a}o lenta. 
                         Geralmente, esse tipo de fen{\^o}meno est{\'a} associado a 
                         propaga{\c{c}}{\~a}o de eje{\c{c}}{\~o}es coronais de massa no 
                         meio interplanet{\'a}rio (ou seja, ICMEs Interplanetary Coronal 
                         Mass Ejections) ou de regi{\~o}es de intera{\c{c}}{\~a}o 
                         corrotante. A fim de entender a din{\^a}mica das 
                         part{\'{\i}}culas no meio interplanet{\'a}rio, esse tipo de 
                         evento tem sido estudado desde a sua descoberta em 1937. 
                         Entretanto, at{\'e} hoje muitos de seus aspectos ainda s{\~a}o 
                         objetos de estudo, dentre eles a depend{\^e}ncia com a energia. A 
                         partir de meados da d{\'e}cada de 80, trabalhos envolvendo essa 
                         correla{\c{c}}{\~a}o mostram resultados contradit{\'o}rios, ou 
                         seja, enquanto alguns afirmam que essa depend{\^e}ncia existe, 
                         outros garantem o contrario. Pretende-se, portanto, realizar um 
                         estudo de caso a fim de verificar a depend{\^e}ncia do 
                         decr{\'e}scimo de Forbush com a energia utilizando diferentes 
                         canais direcionais do detector multidirecional de m{\'u}ons de 
                         S{\~a}o Martinho da Serra (RS - Brasil). Em geral, v{\'a}rios 
                         detectores de raios c{\'o}smicos, situados em diferentes pontos 
                         da Terra, s{\~a}o necess{\'a}rios para esse tipo de 
                         an{\'a}lise. Contudo, devido aos efeitos do campo 
                         geomagn{\'e}tico e da capacidade que este detector tem de 
                         discernir a dire{\c{c}}{\~a}o das part{\'{\i}}culas 
                         incidentes, {\'e} poss{\'{\i}}vel monitorar a intensidade de 
                         raios c{\'o}smicos em diferentes faixas de energia com o mesmo 
                         instrumento. Desta forma, utilizando um ajuste exponencial nos 
                         per{\'{\i}}odos de recupera{\c{c}}{\~a}o de um Forbush 
                         Decrease, ser{\'a} poss{\'{\i}}vel comparar as 
                         diferen{\c{c}}as no tempo de recupera{\c{c}}{\~a}o conforme a 
                         rigidez geomagn{\'e}tica de corte das part{\'{\i}}culas 
                         c{\'o}smicas prim{\'a}rias associadas a cada canal direcional 
                         desse detector.",
  conference-location = "Santa Maria, RS",
      conference-year = "05-09 nov",
             language = "pt",
           targetfile = "page-110.pdf",
        urlaccessdate = "24 nov. 2020"
}


Fechar