Fechar
Metadados

@Book{MiloneWRDJCBCVAMV:2019:InAsAs,
               editor = "Milone, Andr{\'e} de Castro and Wuensche, Carlos Alexandre and 
                         Rodrigues, Cl{\'a}udia Vilega and D’Amico, Flavio and Jablonski, 
                         Francisco Jos{\'e} and Capelato, Hugo Vicente and Braga, 
                         Jo{\~a}o and Cecatto, Jos{\'e} Roberto and Vilas Boas, Jos{\'e} 
                         Williams dos Santos and Aguiar, Odylio Denys de and Miranda, 
                         Oswaldo Duarte and Villela, Thyrso",
                title = "Introdu{\c{c}}{\~a}o {\`a} astronomia e astrof{\'{\i}}sica V 
                         II",
            publisher = "Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais",
                 year = "2019",
               volume = "II",
              address = "S{\~a}o Jos{\'e} dos Campos",
             keywords = "astronomia, astrof{\'{\i}}sica.",
             abstract = "A fascina{\c{c}}{\~a}o pelos mist{\'e}rios do Universo faz 
                         parte da natureza humana desde o come{\c{c}}o da 
                         civiliza{\c{c}}{\~a}o. Ao mesmo tempo que admiramos a sua 
                         extens{\~a}o e beleza, sentimos o desafio de conhec{\^e}-lo e o 
                         desejo de descobrir a sua conex{\~a}o conosco. Ao investigarmos o 
                         Cosmo estamos tamb{\'e}m indagando sobre a nossa pr{\'o}pria 
                         origem. {\'E} bem poss{\'{\i}}vel que o homem tenha perscrutado 
                         o c{\'e}u antes da terra, mares e rios, que estavam bem mais 
                         pr{\'o}ximos. O ciclo das esta{\c{c}}{\~o}es, a luz e o calor 
                         do Sol durante o dia, o luar e as estrelas {\`a} noite, a 
                         necessidade de se orientar em seus percursos de um lugar a outro e 
                         de estabelecer uma cronologia para os acontecimentos foram motivos 
                         suficientes para o homem tentar equacionar o Universo. A 
                         princ{\'{\i}}pio o Universo conhecido se restringia ao Sol, 
                         {\`a} Lua e alguns planetas. Com o aperfei{\c{c}}oamento dos 
                         instrumentos astron{\^o}micos, e a pr{\'o}pria 
                         evolu{\c{c}}{\~a}o das id{\'e}ias, o conhecimento humano foi se 
                         expandindo e o Cosmo se revelando, de forma surpreendente e 
                         impressionante. O sistema solar {\'e} hoje esmiu{\c{c}}ado pelas 
                         sondas espaciais. Os modernos telesc{\'o}pios parecem nos 
                         conferir vis{\~a}o de super-homens. Do Sol, partimos para as 
                         demais estrelas que, aos bilh{\~o}es, permeiam a nossa 
                         gal{\'a}xia, a Via L{\'a}ctea. Mesmo sem conseguir 
                         penetr{\'a}-las, a astronomia vem decifrando o seu interior, a 
                         sua forma{\c{c}}{\~a}o e evolu{\c{c}}{\~a}o, t{\~a}o ligadas 
                         {\`a} nossa pr{\'o}pria exist{\^e}ncia, pois somos fruto das 
                         estrelas. As gigantescas nuvens interestelares descortinam-se com 
                         suas formas curiosas e gases fluorescentes, e revelam-se como 
                         ber{\c{c}}{\'a}rios de estrelas. Indo mais adiante, notamos que 
                         o Universo se organiza em grupos de estrelas, gal{\'a}xias, e em 
                         superaglomerados, intercalados por imensos vazios. At{\'e} onde 
                         os instrumentos podem satisfazer a nossa curiosidade, 
                         avan{\c{c}}amos no espa{\c{c}}o e retrocedemos no tempo, em 
                         dire{\c{c}}{\~a}o aos limites do Universo, que nos mostram a sua 
                         inf{\^a}ncia e adolesc{\^e}ncia. O conhecimento adquirido 
                         alimenta as respostas a algumas das indaga{\c{c}}{\~o}es 
                         b{\'a}sicas do esp{\'{\i}}rito humano: Como surgiu e se 
                         desenvolve este imenso teatro, no qual a mat{\'e}ria e a energia 
                         produzem espet{\'a}culos fant{\'a}sticos, em cont{\'{\i}}nua 
                         transforma{\c{c}}{\~a}o? Estamos em S{\~a}o Jos{\'e} dos 
                         Campos, uma cidade do planeta Terra, onde os astr{\^o}nomos do 
                         INPE, iguais a muitos em outros lugares, est{\~a}o investigando 
                         os segredos do Universo. Fazem isso pela satisfa{\c{c}}{\~a}o 
                         que o conhecimento produz. Mais profundamente, o fazem para 
                         ampliar os horizontes do nosso pr{\'o}prio mundo. Este caderno 
                         re{\'u}ne os t{\'o}picos abordados no Curso de 
                         Introdu{\c{c}}{\~a}o {\`a} Astronomia e Astrof{\'{\i}}sica do 
                         INPE, iniciado em 1998 e programado para ocorrer anualmente ao 
                         final do primeiro semestre. {\'E} destinado principalmente {\`a} 
                         atualiza{\c{c}}{\~a}o de professores do ensino fundamental e 
                         m{\'e}dio, e a estudantes universit{\'a}rios vinculados a 
                         {\'a}reas relacionadas {\`a} astronomia. O curso pretende 
                         tra{\c{c}}ar as linhas b{\'a}sicas do que a astronomia j{\'a} 
                         conseguiu decifrar, delineando tamb{\'e}m um quadro da 
                         evolu{\c{c}}{\~a}o das id{\'e}ias e das t{\'e}cnicas 
                         utilizadas na pesquisa cient{\'{\i}}fica. Paralelamente, 
                         s{\~a}o mostrados os trabalhos que a Divis{\~a}o de 
                         Astrof{\'{\i}}sica do INPE vem desenvolvendo. H{\'a} ainda o 
                         prop{\'o}sito de apresentar uma vis{\~a}o desmitificada da 
                         ci{\^e}ncia e do cientista, expondo as suas tentativas e 
                         incertezas no caminho do conhecimento. Finalizando, a {\'u}ltima 
                         parte do curso enfoca a import{\^a}ncia da ci{\^e}ncia 
                         b{\'a}sica, como principal geradora de novas ideias e 
                         tecnologias. Alguns subprodutos esperados s{\~a}o despertar uma 
                         poss{\'{\i}}vel voca{\c{c}}{\~a}o cient{\'{\i}}fica nos 
                         estudantes e motivar os educadores a introduzir novas formas de 
                         comunicar a ci{\^e}ncia a seus alunos. Para que os objetivos 
                         propostos sejam cumpridos satisfatoriamente, este trabalho deve 
                         ser constantemente revisado e, nesse sentido, todas as 
                         cr{\'{\i}}ticas e sugest{\~o}es ser{\~a}o bem vindas.",
          affiliation = "{Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)} and {Instituto 
                         Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)} and {Instituto Nacional de 
                         Pesquisas Espaciais (INPE)} and {Instituto Nacional de Pesquisas 
                         Espaciais (INPE)} and {Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais 
                         (INPE)} and {Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)} and 
                         {Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)} and {Instituto 
                         Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)} and {Instituto Nacional de 
                         Pesquisas Espaciais (INPE)} and {Instituto Nacional de Pesquisas 
                         Espaciais (INPE)} and {Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais 
                         (INPE)} and {Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)}",
             language = "pt",
      numberofvolumes = "II",
                pages = "434",
                  ibi = "8JMKD3MGP3W34R/3SLENSP",
                  url = "http://urlib.net/rep/8JMKD3MGP3W34R/3SLENSP",
           targetfile = "publicacao.pdf",
        urlaccessdate = "02 dez. 2020"
}


Fechar