Fechar
Metadados

@TechReport{AndradeNarvAdam:2016:DiDeFl,
               author = "Andrade, {\'A}danna de Souza and Narvaes, Igor da Silva and 
                         Adami, Marcos",
                title = "Din{\^a}mica da degrada{\c{c}}{\~a}o florestal na regi{\~a}o 
                         nordeste do Par{\'a} - PA",
          institution = "Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais",
                 year = "2016",
                 type = "RPQ",
              address = "S{\~a}o Jos{\'e} dos Campos",
                 note = "{Bolsa PIBIC/INPE/CNPq}",
             keywords = "degrada{\c{c}}{\~a}o florestal, Par{\'a}.",
             abstract = "A regi{\~a}o Amaz{\^o}nica {\'e} composta por um mosaico de 
                         paisagens, definido tanto pela heterogeneidade dos ecossistemas 
                         existentes quanto pela crescente intensifica{\c{c}}{\~a}o 
                         agropecu{\'a}ria, refletida no uso da terra, na 
                         ocupa{\c{c}}{\~a}o humana e no desenvolvimento local (Batistella 
                         et al., 2008). Desta forma, a din{\^a}mica de 
                         ocupa{\c{c}}{\~a}o da Amaz{\^o}nia Legal come{\c{c}}ou a ser 
                         investigada de forma sistem{\'a}tica a partir de 1988, com o 
                         programa de monitoramento da Amaz{\^o}nia Brasileira por 
                         Sat{\'e}lite PRODES (INPE, 1989), o qual tem como premissa a 
                         determina{\c{c}}{\~a}o da taxa de desmatamento por corte raso em 
                         {\'a}reas com dimens{\~o}es superiores a 6,25 hectares. Como 
                         forma de suprir a demanda dos {\'o}rg{\~a}os de 
                         fiscaliza{\c{c}}{\~a}o, em especial o IBAMA, o INPE desenvolveu 
                         um programa complementar ao PRODES, denominado DETER (Sistema de 
                         Detec{\c{c}}{\~a}o do Desmatamento em Tempo Real na 
                         Amaz{\^o}nia), que utiliza imagens da s{\'e}rie MODIS com 
                         resolu{\c{c}}{\~a}o espacial limitada de 250 m, permitindo a 
                         detec{\c{c}}{\~a}o de desmatamentos cujas {\'a}reas s{\~a}o 
                         superiores a 25 hectares, compensada pelo per{\'{\i}}odo de 
                         revisita de 2 dias (INPE, 2008), para a emiss{\~a}o de alertas 
                         di{\'a}rios. Por{\'e}m, frente a mudan{\c{c}}as no processo de 
                         desmatamento da Amaz{\^o}nia, onde em muitas regi{\~o}es este se 
                         d{\'a} em {\'a}reas cada vez de menor dimens{\~a}o, foi 
                         desenvolvido o programa DETER-B, o qual utiliza imagens do sensor 
                         AWiFS e WFI, com resolu{\c{c}}{\~a}o espacial de 56 e 60 m, 
                         respectivamente, o qual possui a vantagem competitiva em 
                         rela{\c{c}}{\~a}o ao DETER-A, pois al{\'e}m de mapear o corte 
                         raso, fornece informa{\c{c}}{\~o}es a respeito do desmatamento 
                         com vegeta{\c{c}}{\~a}o, degrada{\c{c}}{\~o}es, 
                         minera{\c{c}}{\~a}o, cicatriz de inc{\^e}ndio florestal e corte 
                         seletivo com formato desordenado e geom{\'e}trico em {\'a}reas 
                         com dimens{\~a}o superiores a 6,25 ha (Diniz et al., 2015). 
                         J{\'a} para o monitoramento da explora{\c{c}}{\~a}o florestal, 
                         o INPE vem desenvolvendo um novo programa, denominado de DETEX, 
                         utilizado para detectar atividades madeireiras, identificando as 
                         diferentes formas de explora{\c{c}}{\~a}o florestal 
                         (explora{\c{c}}{\~a}o florestal convencional, em geral com 
                         formato desordenado da infraestrutura e corte seletivo com formato 
                         geom{\'e}trico), utilizando imagens da s{\'e}rie Landsat, DMC e 
                         LISS/ResourceSat (Barbosa et al., 2009; Pinag{\'e}, 2011; 
                         Guimar{\~a}es e Gomes, 2012) . No que tange {\`a} 
                         degrada{\c{c}}{\~a}o florestal, o INPE lan{\c{c}}ou em 2007 o 
                         sistema DEGRAD, que mapeia {\'a}reas que est{\~a}o expostas 
                         {\`a} degrada{\c{c}}{\~a}o florestal progressiva, pela 
                         explora{\c{c}}{\~a}o predat{\'o}ria de madeira, com ou sem uso 
                         de fogo, mas que ainda n{\~a}o foram completamente desmatadas. 
                         Este sistema analisa as mesmas imagens de sat{\'e}lite utilizadas 
                         pelo projeto Prodes. Segundo o Inpe (2014), o Degrad {\'e} uma 
                         ferramenta importante para os {\'o}rg{\~a}os de 
                         preven{\c{c}}{\~a}o e combate ao desmatamento, pois permite 
                         interven{\c{c}}{\~o}es em {\'a}reas cuja cobertura florestal 
                         ainda n{\~a}o foi completamente suprimida e convertida em outros 
                         usos como pastagem e culturas agr{\'{\i}}colas. Desta forma, 
                         estes programas de monitoramento, com suas metodologias 
                         espec{\'{\i}}ficas, s{\~a}o capazes de estabelecer a real 
                         situa{\c{c}}{\~a}o da din{\^a}mica de uso e cobertura 
                         ocorrentes na regi{\~a}o amaz{\^o}nica. As florestas tropicais, 
                         principalmente a Amaz{\^o}nia, t{\^e}m sido amea{\c{c}}ada 
                         pelos elevados {\'{\i}}ndices de desmatamento ou corte raso. 
                         Embora o desmatamento seja a atividade que mais destr{\'o}i as 
                         florestas, outras interfer{\^e}ncias antr{\'o}picas na floresta, 
                         tais como a explora{\c{c}}{\~a}o seletiva de madeira tamb{\'e}m 
                         tem aumentado em frequ{\^e}ncia e extens{\~a}o, ocasionando 
                         problemas que v{\~a}o desde a fragmenta{\c{c}}{\~a}o da 
                         paisagem at{\'e} a perda de biodiversidade (Asner et al., 2005). 
                         A explora{\c{c}}{\~a}o seletiva de madeira de forma 
                         insustent{\'a}vel est{\'a} entre as principais causas da 
                         mudan{\c{c}}a da estrutura florestal. Quando esta 
                         interven{\c{c}}{\~a}o n{\~a}o {\'e} realizada de forma 
                         planejada, acarreta na redu{\c{c}}{\~a}o da capacidade de uma 
                         floresta de produzir servi{\c{c}}os ecossist{\^e}micos, como 
                         armazenamento de carbono e produtos de madeira, devido a 
                         mudan{\c{c}}as ambientais e antropog{\^e}nicas severas impostas 
                         {\`a} estrutura florestal (Thompson et al., 2013). Atualmente, 
                         dado a press{\~a}o que o bioma sofre, principalmente para a 
                         expans{\~a}o da fronteira agr{\'{\i}}cola, estas s{\~a}o 
                         ocupadas primeiramente para a grilagem de terra e consequente 
                         explora{\c{c}}{\~a}o desordenada dos recursos florestais 
                         at{\'e} o seu completo exaurimento. Ligado a isto, modelagens 
                         s{\~a}o realizadas com base no uso e ocupa{\c{c}}{\~a}o da 
                         Terra (Aguiar et al., 2012; Lima et al., 2012) para se obter as 
                         tend{\^e}ncias e proje{\c{c}}{\~o}es que estas condicionantes 
                         poder{\~a}o acarretar. Nesse sentido, o objetivo deste trabalho 
                         {\'e} avaliar o processo de convers{\~a}o florestal, 
                         inicialmente com a explora{\c{c}}{\~a}o seletiva, e nos casos em 
                         que a taxa de extra{\c{c}}{\~a}o de indiv{\'{\i}}duos {\'e} 
                         maior do que preconizado pelo manejo florestal, pela 
                         degrada{\c{c}}{\~a}o por interm{\'e}dio da remo{\c{c}}{\~a}o 
                         do sub-bosque at{\'e} a completa remo{\c{c}}{\~a}o da 
                         vegeta{\c{c}}{\~a}o, convertida em corte raso, na regi{\~a}o 
                         nordeste do Par{\'a}.",
          affiliation = "{Universidade Federal Rural da Amaz{\^o}nia (UFRA)} and 
                         {Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)} and {Instituto 
                         Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)}",
             language = "pt",
                pages = "33",
                  ibi = "8JMKD3MGP3W34R/42PMQ4E",
                  url = "http://urlib.net/rep/8JMKD3MGP3W34R/42PMQ4E",
           targetfile = "Andrade_dinamca.pdf",
        urlaccessdate = "21 jan. 2021"
}


Fechar