Fechar
Metadados

@TechReport{VieiraEche:2009:EsDeIn,
               author = "Vieira, Lucas Ramos and Echer, Ezequiel",
                title = "Estudo do decr{\'e}scimo na intensidade de raios c{\'o}smicos 
                         causado por diferentes estruturas interplanet{\'a}rias do vento 
                         solar",
          institution = "Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais",
                 year = "2009",
                 type = "RPQ",
              address = "S{\~a}o Jos{\'e} dos Campos",
                 note = "{Bolsa PIBIC/INPE/CNPq}",
             keywords = "Raios c{\'o}smicos, vento solar.",
             abstract = "O Relat{\'o}rio apresenta as atividades de pesquisa vinculadas ao 
                         Programa PIBIC/INPE CNPq/MCT realizadas pelo Bolsista Lucas Ramos 
                         Vieira, durante o per{\'{\i}}odo de agosto de 2008 a julho de 
                         2009, no Projeto ESTUDO DO DECR{\'E}SCIMO NA INTENSIDADE DE RAIOS 
                         C{\'O}SMICOS CAUSADO POR DIFERENTES ESTRUTURAS 
                         INTERPLANET{\'A}RIAS DO VENTO SOLAR junto ao Centro Regional Sul 
                         de Pesquisas Espaciais CRS/INPE-MCT. As atividades relativas ao 
                         Projeto foram desenvolvidas pelo bolsista no Laborat{\'o}rio de 
                         Clima Espacial do CRS/INPE-MCT, no {\^a}mbito da Parceria: 
                         INPE/MCT UFSM, atrav{\'e}s do Laborat{\'o}rio de Ci{\^e}ncias 
                         Espaciais de Santa Maria LACESM/CT UFSM. Estruturas 
                         magn{\'e}ticas interplanet{\'a}rias do vento solar, tais como os 
                         remanescentes de eje{\c{c}}{\~o}es de massa coronal (EMCs) e 
                         regi{\~o}es de intera{\c{c}}{\~a}o co-rotante (RIC), 
                         frequentemente propagam-se mais rapidamente do que a velocidade 
                         magnetoss{\^o}nica gerando {\`a} sua frente ondas de choques 
                         interplanet{\'a}rios. Como a extens{\~a}o espacial de um choque 
                         {\'e} maior do que sua estrutura correspondente {\'e} comum que 
                         espa{\c{c}}onaves pr{\'o}ximas {\`a} {\'o}rbita da Terra 
                         observem somente os efeitos causados pelo choque. Um significante 
                         n{\'u}mero de choques pode ser geoefetivo, ou seja, resultar em 
                         tempestades geomagn{\'e}ticas moderadas ou intensas. Outro efeito 
                         observado {\'e} o decr{\'e}scimo de v{\'a}rios dias na 
                         intensidade de raios c{\'o}smicos (RC), registrados em detectores 
                         de RC tanto na superf{\'{\i}}cie terrestre quanto no 
                         espa{\c{c}}o. No projeto, apenas estruturas de choques 
                         interplanet{\'a}rios s{\~a}o analisadas, investigando as 
                         correla{\c{c}}{\~o}es entre diversos par{\^a}metros de choque 
                         do tipo frontal (ou dianteiro) e as magnitudes dos respectivos 
                         decr{\'e}scimos de raios c{\'o}smicos para diferentes intervalos 
                         de energia, observados em 2001. Por interm{\'e}dio de rotinas de 
                         programa{\c{c}}{\~a}o desenvolvidas no projeto, s{\~a}o 
                         analisados os seguintes tipos de dados: valores de plasma e campo 
                         magn{\'e}tico do meio interplanet{\'a}rio pr{\'o}ximo a Terra; 
                         contagem de part{\'{\i}}culas (raios c{\'o}smicos) com energia 
                         >60 MeV presentes no meio interplanet{\'a}rio; contagem de 
                         n{\^e}utrons oriundos de 4 regi{\~o}es da Terra com diferentes 
                         rigidez de corte; contagem de muons observados em 2001 pelo 
                         prot{\'o}tipo do detector multidirecional de muons, instalado no 
                         Observat{\'o}rio Espacial do Sul (OES/CRS/INPE MCT), (29.4S, 
                         53.8W, 480 m a.n.m.), em S{\~a}o Martinho da Serra, RS. O ano de 
                         2001 corresponde ao m{\'a}ximo do ciclo solar 23. As principais 
                         conclus{\~o}es s{\~a}o: choques frontais lentos n{\~a}o causam 
                         percept{\'{\i}}veis decr{\'e}scimos na intensidade de raios 
                         c{\'o}smicos; a densidade de part{\'{\i}}culas na regi{\~a}o 
                         do choque, por ser muito baixa, n{\~a}o {\'e} respons{\'a}vel 
                         pela modula{\c{c}}{\~a}o do fluxo de RCs; os coeficientes de 
                         correla{\c{c}}{\~a}o entre par{\^a}metros de 
                         varia{\c{c}}{\~a}o de velocidade (na regi{\~a}o do choque) e a 
                         magnitude de decr{\'e}scimos de RCs s{\~a}o mais pr{\'o}ximos 
                         da unidade quanto menor {\'e} a rigidez de corte.",
          affiliation = "{Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)} and {Instituto 
                         Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)}",
             language = "pt",
                pages = "72",
                  ibi = "8JMKD3MGP3W34R/42U5J4B",
                  url = "http://urlib.net/rep/8JMKD3MGP3W34R/42U5J4B",
           targetfile = "Lucas Ramos Vieira.pdf",
        urlaccessdate = "24 jan. 2021"
}


Fechar